Agenda de Eventos Feministas em Portugal

ondas

Porto Femme

Exibição de filmes com Porto Femme

Tia Ciata
(Brasil | 26’ |2017), de Mariana Campos e Raquel Beatriz

Sinopse: Tia Ciata é um documentário que aborda o protagonismo feminino negro sob a ótica da personagem popular Tia Ciata, uma mulher de suma importância para a história e cultura brasileira, referência na construção da identidade nacional. O filme traz depoimentos de mulheres negras que são referências na luta contra o racismo e pela visibilidade do protagonismo feminino negro em diferentes áreas de atação. São elas: a escritora Conceição Evaristo, a filósofa e escritora Helena Theodoro, a historiadora Giovana Xavier, a pesquisadora de cinema negro brasileiro Janaina Oliveira, a atriz Angela Peres, as cantoras Marina Íris e Nina Rosa, a bisneta de Tia Ciata Gracy Mary e Ialorixá Mãe Beata de Iemanjá, que faleceu recentemente deixando um legado de luta pela igualdade de direitos para o povo negro e sempre será referência de força ancestral e resistência, inspirando gerações.

Rupa's Boutique | A BOUTIQUE DE RUPA
Hungary/Hungria | 53’ |2017
Realizadora/Director: Glória Halász
Produtora/Producer: Gábor Osváth, Praaful Chaudhary

Sinopse
Em A Boutique de Rupa há sonhos pendurados nos cabides. Sonhos que significam esperança para as vítimas de ataques com ácido até nos piores dos momentos. Todas as raparigas, Rupa, Soniya, Gita, Neetu, Dolly e Laxmi estão novamente de pé depois das próprias tragédias. Todas encontraram forma de regressar à sociedade, de se tornarem independentes e visíveis.
Rupa, vivendo na cidade de Agra na Índia, quer ser estilista desde a infância. A jovem gostaria de abrir a sua própria boutique para se poder tornar financeiramente independente. Na boutique gostaria de empregar as suas companheiras vítimas de ataques com ácido. No filme vamos conhecer Rupa e as histórias de vida e sonhos das suas companheiras vítimas, enquanto se preparam para um monumental desfile de moda, onde as roupas desenhadas por Rupa são desfiladas pelas sobreviventes.
De acordo com os ativistas de Stop Acid Attacks que ajudam as vítimas, na Índia há 3 a 5 ataques por semana. Muitas vítimas não denunciam os crimes à polícia pelo medo de serem socialmente estigmatizados. A campanha ajuda vítimas a encontrar forma de regressar à sociedade, estabelece um centro de crise que fornece um ambiente seguro às vítimas, onde podem receber ajuda médica e podem passar o seu tempo de forma conveniente e útil. O centro também as apoia no desenvolvimento das suas ambições, sejam elas aspirações ativistas ou trabalhar no seu café.

Links:
ícone feminista.pt