Agenda de Eventos Feministas em Portugal

ondas

Mulher Negra: Saúde, Autocuidado e Autoproteção

Uma tertúlia interativa a fim de  discutir o lugar da mulher negra no imaginário social português, os lugares sociais a elas destinados, a violência, o racismo e suas formas traumáticas de expressão. Discorrer sobre a importância do autocuidado, da saúde e bem estar psicológico como estratégia de autoproteção. Para enriquecer  nossa discussão algumas autoras feministas negras  serão abordadas tais como Neusa Souza, Isildinha Nogueira, Virginia Bicudo, Sueli Carneiro, Djamila Ribeiro, Bell Hooks dentre outras.

Shenia Karlsson é uma Psicóloga Clínica e Social, com uma vasta experiência no atendimento a população negra,  mulheres em situação violência doméstica e fragilidade social,jovens, casais e famílias negras.  A partir da sua vivência enquanto mulher e negra percebeu que ainda temos pouca representatividade em determinados lugares sociais, somos poucas ocupando determinados cargos e ainda somos associadas ao lado negativo das relações, como corpos desprovidos de afeto. Em seu exercício da Psicologia Social  ao longo dos anos, constatou a carência de uma intervenção Psicoterapêutica que atendesse demandas específicas das mulheres negras.                                                   

Desenvolveu um trabalho baseado em representatividade como psicóloga e negra, sentiu que contribuía de forma significativa utilizando uma escuta apurada sobre experiências que só atravessam a mulher negra, podendo assim desenvolver formas de enfrentamentos construídas especialmente a esse público em específico. Refletiu sobre a necessidade de se pensar uma Psicologia crítica e de uma prática que busca acima de tudo compreender os processos de construção de negros na sociedade e das perturbações oriundas de lógicas opressoras. Pensa o espaço terapêutico também como um lugar de micropolítica.

Junto com a Claudina Damasceno Ozório criou o Papo Preta- Saúde e Bem Estar da mulher em 2016. O projeto recebeu dois prêmios em seu segundo ano de atuação. Sendo assim desenvolveu uma metodologia de intervenção baseada em práticas psicológicas, ancestralidade, processos históricos da população da diáspora africana e cultura negra. Resgatou produções de autores negros antes invisibilizados pelos campos da Psicologia tradicional.

A aderência ao trabalho obteve resultados surpreendentes provando que a identidade racial, a representatividade e principalmente estudos profundos sobre a temática do racismo são fundamentais na construção do bem estar e da saúde mental da população negra em geral.

Hoje o projeto Papo Preta, além de atuar no Brasil, tendo sua sede no Rio de Janeiro, atua também em Lisboa, Portugal. O trabalho foi muito bem recebido pela população negra de diáspora provando que as problemáticas dos negros ao redor do mundo são semelhantes.

Shenia Karlsson foi convidada e atua como Diretora do Departamento de Sororidade e Entreajuda no INMUNE- Instituto da Mulher Negra em Portugal e constantemente é solicitada para discorrer sobre a problemática da Saúde Mental da População Negra pelos mais diversos meios de comunicação.

Links:
ícone feminista.pt